domingo, 4 de março de 2012

JIU-JITSU

Basicamente no Jiu-Jitsu usa-se a força (própria e, quando possível, do próprio adversário) em alavancas, o que possibilita que um lutador, mesmo sendo menor que o oponente, consiga vencer. No chão, com as técnicas de estrangulamento e pressão sobre articulações, é possível submeter o adversário fazendo-o desistir da luta (competitivamente), ou (em luta real) fazendo-o desmaiar ou quebrando-lhe uma articulação.
O jiu-jitsu brasileiro tradicionalmente é lutado com kimono trançado (embora haja a modalidade jiu-jitsu sem kimono) e as técnicas visam levar o adversário a uma posição chamada de finalização, o que significa que, se levada adiante, causaria a fratura de um osso ou a morte por asfixia respiratória ou circulatória. A posição de finalização pode ser:
  • reconhecida intencionalmente e manifestamente pelo derrotado através de dois tapas seguidos com a mão (ou, se as duas mãos estiverem presas, com o pé) no solo (tatame), no próprio corpo ou no do adversário; ou ainda por qualquer manifestação verbal que indique o desejo de parar a luta.
  • reconhecida não intencionalmente pelo derrotado, através de gritos como "ai".
  • requerida pelo técnico ou treinador do derrotado.
  • avaliada pelo árbitro (nocaute técnico).
Quando o tempo da luta se exaure sem que haja uma finalização, é declarado vencedor aquele que ganhou mais pontos ou, em caso de empate, mais vantagens. Se persistir o empate, há a contagem por punições e, sucessivamente, uma avaliação subjetiva da arbitragem.
São contados dois pontos para queda, dois pontos para raspagem (derrubada de adversário já no solo), três pontos para passagem de guarda (situação em que o lutador consegue transpor as pernas do adversário, chegando à posição lateral, terminando numa imobilização estabilizada em três segundos), quatro pontos para montada ou ataque pelas costas.
São contadas vantagens para passagens ou montadas não estabilizadas, bem como golpes encaixados que não resultem em finalização. A punição pode ocorrer em várias situações, notadamente, em caso de pouca combatividade ("amarração") de quem estiver em vantagem, aproveitando-se de tal situação para deixar o tempo passar sem risco de reversão, mesmo após três advertências.
Alguns dos golpes mais conhecidos:
  • De braço: arm-lock, chave americana, chave kimura, chave de bíceps.
  • De mão: mão-de-vaca.
  • Estrangulamentos: mata-leão, triângulo, ezequiel.

Golpes proibidos (CBJJ)

De 04 a 12 anos

  • Bate estaca
  • Chave de bíceps
  • Mão de vaca
  • Triângulo puxando a cabeça
  • Chave de pé (todas as formas)
  • Chave de joelho, leg-lock
  • Cervical
  • Mata leão de frente
  • Ezequiel
  • Chave de panturrilha
  • Omoplata
  • Gravata técnica de frente
  • Kanibasami (tesoura)
  • Chave de calcanhar
  • Gogo plata
  • Omoplata de mão

De 13 a 15 anos

  • Bate estaca
  • Chave de bíceps
  • Mão de vaca
  • Triângulo puxando a cabeça
  • Chave de pé (todas as formas)
  • Chave de joelho, leg-lock
  • Cervical
  • Mata leão de frente
  • Ezequiel
  • Chave de panturrilha
  • Kanibasami (tesoura)
  • Chave de calcanhar

De 16 a 17 anos e adulto faixa branca

  • Bate estaca,
  • Leg lock
  • Cervical
  • Chave de bíceps
  • Chave de panturrilha
  • Mão de vaca
  • Mata leão no pé
  • Kanibasami (tesoura)
  • Chave de calcanhar

De adulto a sênior 5 (faixas azul e roxa)

  • Mata leão no pé
  • Bate estaca
  • Leg lock
  • Cervical
  • Chave de bíceps
  • Chave de panturrilha
  • Kanibasami (tesoura)
  • Chave de calcanhar

Adulto à sênior 5 (faixas marrom e preta)

  • Bate estaca
  • Cervical
  • Kanibasami (tesoura)
  • Chave de calcanhar



Fonte:  Saúde & Cia.
Postar um comentário